Pular para o conteúdo
início » Investir para ganho de capital ou dividendos? – Rumo à independência financeira

Investir para ganho de capital ou dividendos? – Rumo à independência financeira

    Sempre há discussão sobre se deve-se optar por ganho de capital ou dividendo ao investir. Com os REITs sob pressão nos últimos anos, parece que essa questão surgiu novamente em várias formas. Há algumas discussões sobre isso no InvestingNote e alguns membros compartilharam alguns posts interessantes com números compilados. Colocarei os links no final deste post.

    Se você me perguntasse isso há 10 ou 15 anos, eu definitivamente escolheria ganho de capital em vez de dividendo. No entanto, minha posição agora é ter uma mistura dos dois.

    Por que minha opinião mudou?

    Não é que eu ache que investir em renda seja melhor do que investir em crescimento, mas estou em uma fase diferente da minha jornada de investimento. Mais sobre isso depois.

    Desmembramento do Retorno da Carteira Atual

    Aconteceu de eu estar analisando meu retorno quando a discussão estava ocorrendo no InvestingNote. Então fiquei curioso para verificar de onde vem o retorno da minha carteira. Antes de compartilhar meus dados, aqui estão algumas ressalvas.

    Os dados compartilhados são de um período muito curto. O período mais longo é a duração da minha carteira atual, que é de apenas 3 anos e 7 meses.

    O retorno compilado é baseado nos ativos da carteira atual. Não inclui ganhos/perdas realizados e não inclui ações que foram totalmente desinvestidas.

    Sou eu quem decidi se os ativos são de crescimento ou dividendo. Alguns deles estão no setor de semicondutores, que são cíclicos por natureza.

    Portanto, nada deve ser generalizado a partir desse conjunto de informações. No entanto, eles servem como uma boa indicação para mim sobre como diferentes segmentos afetaram o desempenho da minha carteira.

    É bastante óbvio que meus ativos de crescimento estão superando meus ativos de dividendo e REITs. REITs realmente lutaram nos últimos 3 anos. A única coisa que é reconfortante é que os dividendos distribuídos por eles ainda superam a perda de capital.

    Retorno semelhante ao longo de diferentes períodos?

    Estou interessado em saber se esse retorno foi o caso ao longo dos diferentes períodos, então tirei um instantâneo dos retornos no final de 2022 e 2021. Em outras palavras, retorno de 3 anos e retorno de 2 anos a partir do momento em que esta carteira foi iniciada.

    Embora os ativos de crescimento ainda dominem os diferentes períodos (especialmente durante o ano da pandemia, quando muitos ativos de crescimento dos Estados Unidos tiveram um bom desempenho), a diferença entre os ativos de dividendo e crescimento não foi tão grande ao longo do período de 3 anos.

    Também observe a volatilidade dos ativos de crescimento. Sim, alguém ainda pode dizer que 42% de retorno ainda é um bom retorno em um período de 3 anos, mas imagine se essa carteira tivesse sido iniciada no final de 2021 apenas com ativos de crescimento, então o retorno para 2022 seria devastador.

    E se eu excluir o atípico (ou seja, iFAST)?

    iFAST tem sido o meu grande vencedor nesta carteira. Representa cerca da metade do meu lucro (realizado e não realizado). Então estou interessado em como as coisas seriam se eu o excluísse.

    Sem o iFAST, o retorno dos ativos de crescimento ao longo de 3 anos na verdade foi inferior ao dos ativos de dividendo! No entanto, eles ainda prevalecem em outros períodos, mas isso mostra novamente a volatilidade dos meus ativos de crescimento.

    Por que não opto por tudo em crescimento?

    Embora o segmento de crescimento da minha carteira esteja indo bem, ainda vou manter minha estratégia atual. Como mencionei no início do post, teria optado por tudo em crescimento se fosse mais jovem. Com uma longa trajetória, a carteira resistiria à volatilidade e, com injeção de capital constante, a carteira provavelmente desfrutaria de um retorno composto de pelo menos meio-dígito médio a longo prazo. Isso ajudará no crescimento do tamanho da carteira.

    No entanto, para o momento atual, minha carteira é construída com a intenção de gerar fluxo de caixa para financiar parcialmente minhas despesas. Ao mesmo tempo, espero obter algum ganho de capital para aumentar gradualmente o tamanho da minha carteira.

    Portanto, para meus ativos de renda, mesmo que o retorno possa ser menor e alguns deles possam até estar registrando perdas, isso realmente não importa. Claro, desde que os fundamentos do ativo permaneçam sólidos. Não me entenda mal, ainda é doloroso ver os ativos no vermelho, mas o que realmente importa para mim é se as empresas ou REITs podem sustentar o pagamento de seus dividendos.

    Um exemplo que gostaria de compartilhar é a Venture. Seu preço caiu 17% este ano, mas não estou muito preocupado, pois é muito provável que consiga sustentar seu dividendo. Então ela continuará me fornecendo a mesma renda, independentemente do preço de suas ações. Por outro lado, com a probabilidade de redução de dividendos da Micro-Mechanics no futuro, reduzi minha participação nela.

    Ganho de capital ou dividendo?

    Realmente depende da intenção do nosso investimento.

    Informações adicionais

    Composição da minha carteira de crescimento e renda

    Ativos de crescimento consistem principalmente de ativos dos Estados Unidos. AEM, iFAST e Raffles Medical são meus ativos de crescimento na carteira de Singapura. Ativos de renda consistem em HRnetGroup, Micro-Mechanics, OCBC, The Hour Glass, UOB e Venture.

    Artigos e discussões relacionados sobre investimento em dividendos e REITs

    The Joyful Investors: Are REITs stable and safe investments?
    Discussão sobre Dividendos no InvestingNote baseada no vídeo do Sr. Loo
    Snow_ball: Comparando o TSR de SGX, Sheng Siong, UOB, Parkwaylife, Frasers Centrepoint Trust e Coke
    Snow_ball: O grande mito do investimento (4): Dividendos importam